Compartilhar

A insolação é uma condição comum causada pelo excesso de exposição ao sol e ao calor intenso. Normalmente, o número de pessoas afetadas pela insolação costuma aumentar muito nos períodos de férias escolares, quando cresce o número de atividades ao ar livre e, consequentemente, a exposição ao sol. É importante lembrar que a condição está bastante associada ao clima quente e seco, mas também pode ocorrer em ambientes úmidos. Mas como identificar e tratar um caso de isolação?

Os primeiros sintomas da insolação são dores de cabeça, tontura, náusea, pele quente e seca, pulso rápido, temperatura elevada, distúrbios visuais e confusão mental. Dependendo do tempo de exposição ao sol, os sintomas podem ser mais graves, incluindo respiração rápida e difícil, palidez (às vezes desmaio), temperatura do corpo muito elevada, extremidades arroxeadas e, eventualmente, coma. Nesses casos, é importante procurar uma unidade de saúde imediatamente.

A prevenção é essencial nesses casos. Geralmente as consequências mais graves podem ser queimaduras, desidratação grave e até perda da consequência. O mais importante nesses casos é a prevenção, evitar locais quentes principalmente em horários de pico e períodos muito prologados sob o sol. Outra coisa importante é lembrar de se hidratar e nunca ficar muito tempo sem líquidos.

Além disso, existem grupos mais vulneráveis onde o cuidado precisa ser redobrado. Principalmente crianças, idosos e pessoas com doenças crônicas. Essas pessoas têm mais probabilidade de ter efeitos colaterais graves com a exposição excessiva ao calor, então o cuidado precisa ser maior.

Como agir em casos de insolação:

O objetivo inicial é baixar a temperatura corporal, lenta e gradativamente.

- Remover o acidentado para um local fresco, à sombra e ventilado;

- Remover o máximo de peças de roupa;

- Se estiver consciente, deverá ser mantido em repouso e recostado (cabeça elevada);

- Pode-se oferecer bastante água fria ou gelada ou qualquer líquido não alcoólico;

- Se possível, deve-se borrifar água fria em todo o corpo do acidentado delicadamente;

- Podem ser aplicadas compressas de água fria na testa, pescoço, axilas e virilhas;

- Tão logo seja possível, o acidentado deverá ser imerso em banho frio ou envolto em panos ou roupas encharcadas;

Em casos graves, procurar atendimento médico de emergência.

Prevenção:

- Evitar permanecer sob o sol nos horários mais quentes do dia (entre 10 e 16 horas);

- Beber mais líquidos do que sua sede sinaliza, evitando bebidas alcoólicas (elas provocam perda de líquidos);

- Usar roupas leves e claras, de algodão;

- Consumir alimentos leves, como frutas e verduras.