Compartilhar

 

Hospital realiza exames digitalizados

O Hospital Dr. Cândido Junqueira sempre foi reverência na região, pela organização, limpeza e também pela realização de exames de qualidade. Há dois anos a instituição realiza exames em equipamentos digitalizados e de última geração.

Mensalmente são feitos no hospital, 200 radiografias, 120 mamografias, 200 ultrassonografias e 50 tomografias, alem de endoscopias. Porém, a instituição de saúde tem a capacidade de realizar mais de mil exames por mês.

As pessoas que desejam marcar algum exame no hospital devem ligar no telefone (35) 3346-1212 e pedir para transferir para o setor de agendamento, ou comparecer no setor no período das 8h às 17h de segunda a sexta-feira.

Entenda melhor os exames realizados no hospital de Cruzília

 

Mamografia

É um exame de diagnóstico por imagem, que tem como finalidade estudar o tecido mamário. Esse tipo de exame pode detectar um nódulo, mesmo que este ainda não seja palpável. Para tanto é utilizado um equipamento que utiliza uma fonte de raios-x, para obtenção de imagens radiográficas do tecido mamário.

Ultrassonografia

É um método diagnóstico que aproveita o eco produzido pelo som para ver em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas e órgãos do organismo. A ultrassonografia permite também, através do efeito conhecer o sentido e a velocidade do fluxos sanguíneo. Por não utilizar radiação ionizante, como na radiografia e na tomografia computadorizada, é um método inócuo, pouco dispendioso e ideal para avaliar a evolução fetal.

A ultrassonografia é um dos métodos de diagnóstico por imagem mais versátil e ubíqua, de aplicação relativamente simples. Nas últimas duas décadas do século XX, o desenvolvimento tecnológico transformou esse método em um instrumento poderoso de investigação médica dirigida, exigindo treinamento constante e uma conduta participativa do examinador.

Radiografia

É uma técnica de exame de imagem que utiliza raios X para ver um material cuja composição não é uniforme como o corpo humano. Nos ossos, a radiografia acusa fraturas, tumores, distúrbios de crescimento e postura. Nos pulmões, pode proporcionar o diagnóstico da pneumonia ao câncer.

Em casos de ferimento com armas de fogo, ela é capaz de localizar onde foi parar o projétil dentro do corpo. Na densitometria óssea, os raios X detectam a falta de mineral nos ossos e podem acusar a osteoporose, comum em mulheres após a menopausa.

Tomografia Computadorizada (TC)

É um exame complementar de diagnóstico por imagem, que consiste numa imagem que representa uma secção ou "fatia" do corpo. É obtida através do processamento por computador de informação recolhida após expor o corpo a uma sucessão de raios X. Seu método principal é estudar a atenuação de um feixe de raios X durante seu trajeto através de um segmento do corpo; no entanto, ela se distingue da radiologia convencional por diversos elementos.

A principal vantagem da TC é que permite o estudo de "cortes" ou secções transversais do corpo humano vivo, ao contrário do que é dado pela radiologia convencional, que consiste na representação de todas as estruturas do corpo sobrepostas. É assim obtida uma imagem em que a percepção espacial é mais nítida. Outra vantagem consiste na maior distinção entre dois tecidos.

Desta forma, é possível a detecção ou o estudo de anomalias que não seriam visualizadas em radiografias comuns, ou através de métodos invasivos, sendo assim um exame complementar de diagnóstico de grande valor.

Endoscopia

Endoscopia significa olhar para dentro do paciente. Trata-se de uma especialidade médica que se ocupa de obter imagens médicas diagnósticas utilizando-se de um endoscópio. O endoscópio é um aparelho que consta basicamente de uma fonte de luz e alguma forma de visualização da imagem para dentro, pode ser dada de forma anal, ventricual ou gastrointestinal.

Colonoscopia

 

A colonoscopia é um exame que ajuda a avaliar o interior do cólon, utilizado para diagnosticar diversos problemas no intestino, como câncer, úlceras, diverticulite e outros.

Geralmente, a colonoscopia deve ser feita a partir dos 50 anos, com intervalos de 3 ou 5 anos, no entanto, se houver histórico familiar de câncer de intestino ou colite ulcerativa, a colonoscopia pode ser feita por volta dos 30 anos.

A colonoscopia não dói e é recomendada em casos de presença de sangue nas fezes, dor abdominal, diarreia intensa ou alterações bruscas no funcionamento intestinal.

Ultrassom 4D

 

O ultrassom 4D é uma novidade entre os exames pré-natal. Já imaginou poder ver a carinha do bebê antes mesmo de ele sair da barriga? Os ultrassons convencionais mostram através da pele do bebê, e é por isso que fica difícil distinguir o que se vê. O ultrassom 4D (e o 3D) mostram por cima da superfície da pele do bebê. A diferença entre o 3D e o 4D é que o primeiro é estático e o ultrassom 4D adiciona o tempo como dimensão, apresentando os resultados em vídeo.

O ideal é fazer o ultrassom 4D entre a 26ª e a 32ª semana de gestação. Não são requeridos procedimentos prévios, mas é necessário ter a guia de encaminhamento do médico mesmo que o convênio não cubra a realização do exame. Antes da vigésima sexta semana, a visualização do bebê não é tão boa e ele se movimenta menos. Depois da trigésima segunda semana, o problema é que o bebê pode se mexer demais. Recomenda-se que a gestante tome bastante água e que coma um chocolate antes da realização do exame para que o feto se mexa mais e dê para visualizar melhor as suas características.

Densitometria Óssea

 

A densitometria óssea é o exame ideal para o diagnóstico da osteoporose e da osteopenia por detectar a redução da massa óssea de maneira precoce e precisa. Ela é o método mais utilizado para avaliar a densidade mineral dos ossos. A densitometria óssea avalia a coluna lombar, a região proximal do fêmur e o terço distal do rádio. Isso porque essas áreas são as que mais estão sujeitas ao risco de fraturas. Esse método utiliza aparelhos sofisticados e que apresentam duas vantagens importantes: são rápidos e produzem uma baixa exposição à radiação - até dez vezes menor que a exposição gerada por uma radiografia normal de tórax. A densitometria óssea é um teste rápido e indolor para a medição da densidade mineral óssea.

O exame é indicado para mulheres acima de 65 anos e homens acima de 70 anos. Entretanto, pode ser indicado para mulheres abaixo de 65 anos e homens abaixo de 70 anos que preenchem um dos critérios abaixo:

• Baixo Peso (Índice de Massa Corporal menor que 18,5 kg/m²);

• Fratura Prévia;

• Medicações e Doenças que aumentam o risco de osteoporose;

• Monitorar osteoporose já diagnosticada;

• Monitorar tratamento.

O procedimento também tem aplicação em pediatria, para acompanhar o crescimento da criança e do adolescente. Os pediatras pedem a densitometria para avaliar a massa óssea e quanto de massa magra e massa de gordura o paciente tem, funcionando como um complemento à avaliação clássica da idade óssea do Raio-X de mãos e punhos.

Contraindicações:

• Mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez, por conta da radiação.

• Pessoas que fizeram exame com contraste de iodo ou bário não podem fazer a densitometria óssea durante uma a duas semanas a depender do contraste utilizado (tempo para que seja eliminado do corpo), pois este interfere no resultado. Outros exames radiológicos como os de cintilografia devem ter um intervalo de eliminação determinado pelo médico.

• Cirurgia ortopédica extensa ou prótese extensa na região avaliada: no caso de pessoas que tem próteses em um fêmur, é feita a avaliação do outro. Para pessoas que tem prótese na coluna, é feita uma análise do fêmur e outra do antebraço.

• Obesidade grave: a maioria dos aparelhos para a densitometria óssea suporta até 160 kg. Alguns aparelhos suportam até 200 kg.

Eletroencefalograma EGG

 

Eletroencefalograma é o teste que avalia a atividade elétrica do cérebro. É um procedimento rápido, simples e indolor, no qual os impulsos elétricos do cérebro são amplificados e registrados em um pedaço de papel.

Nossos neurônios funcionam e se comunicam a base se impulsos elétricos naturalmente gerados. O eletroencefalograma registra esses impulsos elétricos e mostra se o ritmo e intensidade destes estão dentro do normal. Certas condições, como , podem causar mudanças na atividade cerebral e serem diagnosticadas durante um eletroencefalograma.

Mapeamento Cerebral

 

O Mapeamento Cerebral avalia a quantidade de atividade elétrica de uma determinada região do cérebro. Também chamado de EEG Quantitativo, proporciona uma avaliação mais precisa da atividade cerebral, dando uma visão gráfica mais apurada da localização de alterações elétricas através de demonstração e exposição de histograma e mapa de valores. O equipamento que realiza o exame também proporciona animações dinâmicas das imagens cerebrais, facilitando o estudo da função cerebral e do cérebro em ação.

Atualmente as principais indicações do Mapeamento Cerebral é determinar a localização precisa de tumores cerebrais, bem como a localização precisa de doenças focais do cérebro, incluindo entre elas a epilepsia, as alterações vasculares e derrames.