Compartilhar

Milton José Ribeiro foi o primeiro enfermeiro do Hospital Dr. Cândido Junqueira. Ele não cursou uma faculdade, porém sabia fazer curativos, colher material de tuberculosos, dar banho nos doentes e cuidar deles. Sempre que era preciso, as irmãs o chamavam no Posto de Saúde, onde trabalhou por mais de 32 anos. No local ele exerceu a função de guarda sanitarista. 

Quando necessário Milton levava os doentes para realizar exames ou procedimentos cirúrgicos em Belo Horizonte e Varginha. Além disso, quando preciso doava sangue para as cirurgias. 

Tereza Maciel Ribeiro, viúva de Milton, comenta que ele ajudava no hospital e não recebia nada; “Ele cuidava dos doentes com muito amor”, diz. Ainda de acordo com ela, ele tinha muita amizade com as irmãs Cecília, Luiza e Ester. “Elas o queriam muito bem”, afirma Tereza.

Toda manhã, Milton, que amava sua profissão, saia de casa cedo, passava na casa da sua mãe, Maria José Ferreira e depois ia para o Posto de Saúde. “Ele acordava as 3h30 deixava o café das crianças arrumado e subia para entregar fichas. Eu perguntava para ele porque subia tão cedo, principalmente em dias de chuva, ele dizia, vai lá Tereza ver quantos coitados estão lá na chuva esperando, eu entrego as fichas eles vão embora tomar café e descansar um pouco”, ressalta Tereza com quem Milton teve sete filhos.

Vara Lúcia de Jesus Ribeiro, uma de suas filhas, comenta que o pai pegava remédios, escondido do Dr. Nunes, que na época era chefe do Posto de Saúde para dar para as pessoas que precisavam. 

“Uma vez o Dr. José Origines me contou que quando meu pai via um nome diferente de medicamento, ele falava assim: Dr. José Orígenes para que serve? Ele respondia: Para que você quer saber Milton? Ah eu quero saber ele dizia. O Dr. José Orígenes já sabia que era para ele dar”, diz Vera.

Milton tinha um vício, bebia muito, em conseqüência disso, desenvolveu cirrose. Ele faleceu em 30 de junho de 1987, por conta de uma hemorragia no estômago.