Compartilhar

Sua ansiedade “ataca” sempre na mesma hora? Saiba que isso não acontece somente com você. Apesar de não ser uma regra, é algo comum. Sintomas de ansiedade podem aparecer a qualquer momento, é claro. Porém, nossa ansiedade está atrelada ao nosso nível de estresse que, por sua vez, tem relação direta com a nossa rotina.

Algumas pessoas têm rotinas semelhantes ao longo dos dias da semana e podem se sentir mais ansiosas em determinados horários que estão relacionados a tarefas ou momentos que são mais propícios para despertar preocupações. Por exemplo, antes ou depois de reuniões de trabalho, antes de dormir, no começo da manhã, etc.

Vale lembrar que a ansiedade é uma sensação normal e que todas as pessoas sentem, especialmente antes de momentos importantes, como uma entrevista de emprego. Mas se a sua ansiedade “bate ponto” com frequência, de forma que prejudica o seu dia a dia, é preciso atenção.

Muitas pessoas têm dificuldade para dormir por causa da ansiedade. Desligam as luzes e deitam na cama, mas como a mente está preocupada e ansiosa, o corpo não consegue descansar. A insônia pode, inclusive, ser um dos sintomas presentes no transtorno de ansiedade generalizada (TAG).

Não é que a ansiedade seja necessariamente pior à noite. Mas como este costuma ser o momento do dia em que a correria diminui e nos desligamos das atividades que mantêm nossa mente ocupada, é comum se sentir levado pelos próprios pensamentos. Quem sofre com ansiedade em excesso pode sentir isso com maior intensidade, relembrando muitas vezes o que ocorreu ao longo do dia (ou até no passado), pensando em tudo o que tem para fazer no dia seguinte e, com isso, ter dificuldade de começar a dormir.

Além disso, a pessoa que passa muitos meses nessa situação pode, com o tempo, aprender que a hora de dormir é um momento desagradável, ficar preocupada quando esse momento do dia se aproxima e, em alguns casos, até sentir mais ansiedade nesse momento – que deveria ser de relaxamento.

COMO EVITAR OS PICOS DE ANSIEDADE

Quando você já sabe que a ansiedade costuma aparecer sempre no mesmo horário, o primeiro passo para evitá-la é identificar as possíveis causas que desencadeiam os picos de ansiedade. Ou seja, tente observar os gatilhos que a fazem aumentar.

Sabendo quais são os motivos que o levam aos picos ansiosos, é preciso buscar formas de enfrentar o excesso de preocupação e reduzir a ansiedade. Técnicas de relaxamento e de atenção plena (mindfulness) costumam ser muito úteis, mas precisam estar associadas a mudanças na rotina e, quando os sintomas estão muito intensos, tratamento psicológico e/ou psiquiátrico.

Não tenha receio de buscar ajuda especializada se estiver em sofrimento. Também invista em atividades que são aliadas no combate à ansiedade excessiva, como exercícios físicos, técnicas de respiração e meditação, por exemplo, além de atividades que você goste de fazer e o ajudem a relaxar.

É POSSÍVEL ESTAR ANSIOSO E NÃO PERCEBER?

Não é algo comum, mas é possível estar com a ansiedade elevada e não notar.

A ansiedade, por definição, é um estado que nos tira do nosso equilíbrio. Quem está minimamente atento ao próprio corpo costuma perceber.Mas é bem comum hoje em dia as pessoas sentirem os primeiros sinais de ansiedade e ‘ignorarem’, justamente por serem mais leves. Em vez de fazerem uma pausa, elas seguem a rotina estressante, acumulando ainda mais ansiedade até chegar a um ponto em que não suportam mais.

Sintomas como musculatura tensa, dor de cabeça, respiração mais superficial e dificuldade de concentração são exemplos desses sintomas iniciais. Preste atenção aos sinais e, se possível, faça pausas na rotina e lembre-se de respirar.

Com informações: Portal Drauzio Varela