Compartilhar

Pancadas de chuvas e altas temperaturas: esse é o período propício para aumento dos casos de Dengue, Zika e Chikungunya. Isso porque, com a chegada da época do calor e do período chuvoso, aumenta a quantidade de água parada, facilitando a proliferação do transmissor dessas doenças.

No caso da Dengue, os sintomas se manifestam a partir do terceiro dia depois da picada do mosquito. Entre os sintomas mais comuns da doença estão a febre alta, associada à dor de cabeça, prostração, dores musculares, nas articulações e atrás dos olhos; além de manchas vermelhas pelo corpo (exantema) e coceira.

Já em relação à Chikungunya, os sintomas são clinicamente semelhantes aos da dengue, sendo eles: febre alta, dor muscular intensa, dor de cabeça, enjoo, fadiga e manchas avermelhadas pelo corpo. O que difere as duas doenças, porém, são as fortes dores nas articulações (poliartrite).

Além dessas, a Zika, causa febre baixa, hiperemia conjuntival (olhos vermelhos) sem secreção e sem coceira, artralgia (dores nas articulações), manchas ou erupções na pele com pontos brancos ou vermelhos, dores musculares, dor de cabeça e dor nas costas.

Caso perceba algum dos sintomas citados, procure a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima e não use medicamentos sem orientação de um profissional de saúde.

A melhor forma de prevenção é a mobilização social para eliminação dos focos do mosquito.

A responsabilidade de eliminar os focos do mosquito é de cada um. Depósitos de água, pratinhos de plantas, bandejas de geladeira, de umidificador, de ar condicionado e filtros d’água; além de garrafas retornáveis e lixo, são alguns dos mais frequentes focos do mosquito Aedes aegypti encontrados pelos agentes de endemias em residências.

Por isso, veja algumas medidas de prevenção:

– Mantenha a casa limpa e sem água parada, como: pratinhos de plantas com água, garrafas pet ou qualquer objeto que facilite o acúmulo de água;

– Jamais descarte qualquer outro material que possa acumular água no quintal de casa, na rua ou em lotes vagos. Ao descartar latas, caixas de leite e similares, é recomendável retirar o fundo;

– Mantenha as calhas livres de entupimentos para evitar represamento de água;

– Mantenha os bebedouros de animais domésticos limpos e escovados, e troque a água diariamente;

– Mantenha piscinas devidamente tratadas;

– Caixas de água devem estar bem tampadas e vedadas. Se optar em armazenar água das chuvas, tampe bem os recipientes;

– A água sanitária também pode ser utilizada para eliminar larvas do mosquito Aedes aegypti. No entanto, ela não pode ser utilizada em recipientes usados para armazenamento de água para consumo humano e de animais. O tratamento deve ser repetido semanalmente, de preferência em dia fixo, de modo a garantir que a solução continue efetiva.