Compartilhar

O Horário de Verão 2018-2019 termina no dia 17 de fevereiro, deixando felizes aqueles que não curtem os relógios adiantados. Cerca de 30% das pessoas não se adaptam de jeito nenhum ao horário de verão. Outras 30% levam certo tempo para se adaptar e as demais nada sentem com a mudança.

Não é mito o prejuízo causado por esta uma hora de sono. Ela é relevante para algumas pessoas e há razões para as queixas que elas apresentam. O sono é extremamente importante para a reconstituição de uma série de funções do organismo. Para algumas pessoas, essa uma hora de sono é extremamente crítica para a organização, porque o melhor momento do sono é o final da manhã, o período em que está para acordar.

Higiene do Sono

Naturalmente, as pessoas começam a querer adormecer exatamente com o estabelecimento da escuridão. Por este motivo, acordar em um período muito escuro do dia fica difícil para algumas. Com o fim do horário de verão, a recomendação é adotar algumas medidas chamadas de higiene do sono. Elas ajudam a induzir o sono, o que é ideal para a pessoa se adaptar a essa nova condição do horário oficial.

Nos dias que antecedem o retorno ao horário oficial convencional, a partir das 16 horas, é preciso:

• Reduzir a luminosidade do ambiente ao cair da noite;

• Reduzir o acesso às telas de celulares e televisão;

• Evitar bebidas estimulantes, como café e álcool;

• Tornar o ambiente mais calmo e menos estimulante possível;

• Evitar exercícios físicos pesados durante a noite;

• Fazer refeições mais leves, como frutas e saladas.

Horário oficial

No dia 17 de fevereiro, na madrugada de sábado para domingo, quando o relógio apresentar 00:00, é preciso atrasá-lo em uma hora, voltando para às 23:00. Isso vale para São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.