Compartilhar

Desde criança aprendemos com nossos pais a importância de lavarmos as mãos antes das refeições e após irmos ao banheiro. Mas você sabia que o simples fato de lavarmos as mãos impede o surgimento de diversas infecções como diarreia, gripe, resfriado, doenças de pele e infecções no estômago?

Em Instituições de Saúde, a higiene eficaz das mãos desempenha um papel fundamental permitindo a segurança de pacientes e profissionais da saúde. Infecções relacionadas à assistência à saúde são infecções adquiridas durante a prestação de cuidados de saúde e constituem um fator de risco para o desenvolvimento de sepse. Mas podemos evitar isso!

A higiene eficaz das mãos desempenha um papel fundamental na prevenção de infecções.

As mãos são o principal veículo de transmissão de microrganismos e contribuem para a disseminação de diversos agravos como gripe, doenças gastrointestinais, infecções de pele entre outros.

A higienização das mãos pode ser feita de duas maneiras: com água e sabonete ou com preparação alcoólica (70%), dependendo da ocasião e das condições que se encontrem as mãos. A primeira pode ser utilizada quando as mãos estiverem visivelmente sujas ou contaminadas com sangue e outros fluidos corporais, ao iniciar o turno de trabalho, após ir ao banheiro, antes e depois das refeições, antes do preparo de alimentos, antes do preparo e manipulação de medicamentos. Já a segunda deve ser feita quando as mãos não estiverem visivelmente sujas antes e após contato com o paciente, antes de realizar procedimentos assistenciais e manipular dispositivos invasivos, após o risco de exposição a fluidos corporais, após o contato com objetos inanimados e superfícies imediatamente próximas ao paciente.

Cabe então destacar que a higienização das mãos é uma medida preventiva, simples e barata, devendo esta ser um hábito que a população em geral necessita incorporar ao seu cotidiano para minimizar a transmissão de agentes infecciosos.