Compartilhar

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acaba de conceder o aval para a comercialização de quatro medicamentos genéricos inéditos no Brasil. Um deles é o Entricitabina combinado com Fumarato de Tenofovir Desoproxila, produto que fará parte do arsenal terapêutico utilizado para o tratamento de pessoas vivendo com HIV. O medicamento de referência é o Truvada, cujas indicações incluem a profilaxia pré-exposição (PReP), usada para reduzir o risco de infecção pelo vírus adquirido sexualmente em adultos de alto risco. No Brasil, a detentora do registro é a Blanver Farmoquímica e Farmacêutica S/A.

Outro produto genérico inédito com registro aprovado pela ANVISA é o Perindopril Erbumina combinado com Indapamida, indicado para o tratamento da hipertensão arterial. De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), essa doença é muito comum, acometendo uma em cada quatro pessoas adultas. Neste caso, a empresa detentora do registro no país é a EMS S/A.

Entre os produtos aprovados pela ANVISA, está também o genérico inédito Bilastina, indicado para o tratamento sintomático de rinoconjuntivite alérgica (intermitente ou persistente) e urticária. A empresa detentora do registro é a EMS S/A.

Completando a lista dos quatro medicamentos genéricos inéditos aprovados pela ANVISA, está o Undecilato de Testosterona. Esse produto terá uso em terapias de reposição de hormônio sexual em homens que apresentam hipogonadismo primário e secundário. A detentora do registro desse medicamento, no Brasil, é Eurofarma Laboratório S/A.

A aprovação desses registros foi publicada no último dia (23), no Diário Oficial da União (DOU).

Preço acessível

Para a ANVISA, a incorporação de novos genéricos é importante porque amplia o acesso dos pacientes a medicamentos com um custo mais acessível. Pela legislação brasileira, esse tipo de produto deve ser disponibilizado no mercado com um desconto de, pelo menos, 35% em relação ao preço máximo da tabela da ANVISA.

É importante destacar que o produto genérico é bastante vendido no mercado nacional. Somente em 2016, foram comercializadas 1,46 bilhões de embalagens de genéricos no Brasil. Essa quantidade representou 32,4% de todas as vendas efetuadas no ano, de acordo com informações da segunda edição do Anuário Estatístico do Mercado Farmacêutico 2016, lançado pela ANVISA em 2017.

Com informações: Ministério da Saúde