Compartilhar

Principalmente durante o verão, muitos pacientes e acompanhantes, pedem a colocação de ventiladores nos quartos de hospitais e em outros ambientes, porém a utilização do aparelho em ambientes hospitalares é proibido pela segurança dos pacientes.

O Hospital Dr. Cândido Junqueira segue, a NBR – 7256, que proíbe o uso de ventiladores. De acordo com a resolução RDC 50, de 2002, item 5, relacionado às Condições Ambientais de Conforto, os Estabelecimentos Assistenciais de Saúde (EAS), precisam de sistemas de controle das condições de conforto higrotérmico e de qualidade do ar diferentes, devido aos grupos populares que freqUentam, das atividades que nelas se realizam, e das características de seus equipamentos.

Ainda de acordo com a resolução, os setores críticos, destinados à assepsia e conforto, tais como salas de cirurgia, UTI, berçário, nutrição parenteral, etc., devem atender às exigências da NBR-7256, que envolve sistemas de filtragem, número de trocas de ar, temperatura máxima e mínima, umidade relativa, etc.

Segundo o “Manual de Processamento de Artigos e Superfícies”, Ministério da Saúde, 1994, 2ª edição. As áreas que permanecem úmidas ou molhadas têm mais condições de albergar e reproduzir germes gram-negativos e fungos; as áreas empoeiradas podem albergar germes gram-positivos, microbactérias e outros. Daí, a necessidade de secar muito bem as superfícies e artigos, e de ser proibida a varredura seca em áreas hospitalares.

Embora os ambientes semicríticos não necessitem de tratamento de ar tão rígido como os ambientes críticos, o ventilador não deve ser utilizado, por causar turbulência e não apresentar condições mínimas de garantia de salubridade do ambiente, mesmo considerando-se que o serviço de saúde deve apresentar condições rígidas de limpeza de suas áreas.