Compartilhar

No Brasil, o câncer de próstata é o tipo mais comum nos homens, ficando atrás apenas do de pele não melanoma que é o mais comum entre homens e mulheres. A campanha ‘Novembro Azul’ foi criada para alertar a doença e diminuir o preconceito com relação ao exame. Durante todo o mês, instituições ao redor do mundo promovem ações para reforçar a prevenção contra a doença.

As campanhas são responsáveis pela quebra de preconceito, uma vez que todos estão expostos à doença, sem distinção, principalmente depois dos 50 anos. O mais importante é que o homem saiba que não há sintomas para o câncer de próstata em fase inicial, por isso ao médico periodicamente para ser avaliado é essencial para um tratamento precoce e efetivo.

O câncer de próstata só apresenta sintomas em fases muito avançadas, quando provavelmente não há mais tratamento, pois na maioria das vezes já acometeu outros órgãos e tecidos, o que os especialistas chamam de metástase.

A doença ocorre quando as glândulas das células da próstata sofrem mutação e começam a se multiplicar sem controle. Os sintomas mais comuns do tumor são dificuldade para urinar, frequência urinária alterada, ou diminuição da força do jato da urina, além de outros sintomas.

O diagnóstico pode feito por meio do exame de sangue, chamado PSA, juntamente com o de toque retal. Homens com histórico de pais ou parentes de primeiro ou segundo grau com câncer devem ficar mais atentos aos cuidados e avisar os médicos para serem acompanhados com maior regularidade.

Nos últimos dez anos, a cirurgia de próstata evoluiu muito e têm proporcionado maiores chances de cura da doença. O sistema robótico, por exemplo, tem possibilitado aos pacientes alternativas positivas para o tratamento, com mais eficiência quando comparada com os métodos tradicionais. Cortes menores, menos dor e desconforto no pós-operatório, diminuição da perda de sangue e hemorragias durante a cirurgia.