Compartilhar

A cena é comum nas praias brasileiras: pessoas oferecendo e fazendo tatuagens temporárias de hena – tintura preparada com o pó das folhas secas da planta de mesmo nome. E o que parece inofensivo, afinal elas são um sucesso entre as crianças, pode ser perigoso para a saúde. Apesar de serem temporárias, não significa que estamos livres das alergias.

O problema, na grande maioria dos casos, é a adição de substâncias que alteram a hena - um pigmento avermelhado que sai facilmente com a lavagem. A tinta geralmente vem de fonte desconhecida e é misturada com produtos químicos sem origem confiável, como o diamino tolueno e os diamino benzenos, substâncias que aumentam o risco de sensibilização da pele (alergias).

Fique de olho

Vermelhidão, coceira, inflamação, formação de bolhas e descamações são alguns dos sinais do mau uso das tatuagens de hena. Caso isso ocorra, uma avaliação médica é necessária. Devido ao tempo de duração maior das tatuagens, a alergia fica mais evidente dias depois da aplicação. A tinta esconde o processo inflamatório, retardando o tratamento.